Capas para Facebook

Adicionar artigo ao twitter

Santo do dia 04 de Julho




Santo do dia 04/07

Santa Isabel de Portugal

Filha de Dom Pedro III de Aragão, Isabel (1270-1336), com a idade de doze anos casou com Dom Dines, rei de portugal, essa menina loura, de aspecto frágil e "doce fala", casada em terra estranha com um marido que lhe era continuamente infiel, demonstrou uma profundidade cristã e elevação de alma que a colocam entre as grandes mulheres da idade média.

Tinha vinte anos quando nasceu Dom AfonsoIV, sua cruz e o grande amor da sua vida. Talves por presenciar os sofrimento da mãe, quase abandonada pelo marido (ela, apesar de ferida no seu íntimo, chegou a criar os filhos ilegítimo do rei), o infante creseu com ódio do pai, a quem tratava como "um estranho". A inimizade atingiu os limite da guerra. O reino todo estava dividido. Isabel desenvolveu, durante longos anos, o papel de mediadora. Viajava de um lado ao outro, intercedia, admoestava. O rei chegou a desterrá-la por sua franqueza em explicar" o direito e a verdade".

Não se conserva senão uma parte muito pequena de sua correspodência. Numa carta ao rei escrevia:"não permitais que se derrame sangue de vossa geração que esteve nas minhas entranhas. Fazei que vossas armas parem, caso contrário vereis como morro logo. Se não o fazeris irei prostrar-mediante de vós e do infante, como loba no parto se alguem se aproxima dos filhotes recém-nascido. É os besteiros hão de ferir o corpo antes que vos toquem a vós e ao infante. Por toda santa Maria e pelo abeçoado São Dionisio vos peço que me respondas logo, para que Deus vos guie".

Morto o rei, dedicou-se totalmente a fazer caridade. Tomou o hábito de Santa clara, mas não emitiu votos para poder fazer de sua riquesa uma fonte de ação social caritativa: "não havia desamparados nem presos que de sua esmola não recebessem parte"; criava órfão se filhos de pais humildes, casava noivas sem dotes; lavava os pés do mendigos e beijava o dos leprosos, tal como a representou Murilo.