Capas para Facebook

Adicionar artigo ao twitter

Santo do dia 22 de Outubro




Santo do dia 22/10

Santa Maria Salomé

Nasceu em Betsaida, esposa de Zebedeu, era uma das santas mulheres, parente próxima de Nossa Senhora e mãe de São João Evangelista e São Tiago o Maior, citada duas vezes no Evangelho de São Marcos. Seu nome deriva da palavra Shalon que significa paz.

Uma delas é em Mt 27,56, em que estava junto a Cruz com Nossa Senhora e no dia da Páscoa da ressurreição vai junto a outras mulheres levar o precioso ungüento ao sepulcro, conforme o costume. Foi também ela, que em Mt. 20, 20ss, pede a Nosso Senhor, em seu imenso amor de mãe, que seus dois filhos se sentassem, um à direita e outro à esquerda de nosso Rei. Suas relíquias foram descobertas miraculosamente em 1.209 e são veneradas até hoje em Veroli (Itália). Morreu na Palestina.

 

Santo Donato

Donato, filho de nobres cristão, nasceu na Irlanda nos últimos anos do século VIII. Desde criança foi educado na fé católica. Iniciou os estudos religiosos e devido ao rápido e bom progresso desejou se aperfeiçoar. Mais tarde abandonou a família e a pátria seguiu em peregrinação por várias regiões até chegar em Roma, onde se tornou sacerdote, em 816.

Na volta para a Irlanda, parou na cidade de Fiesole, quando o clero e a população procuravam eleger um novo bispo. Movidos pela divina inspiração decidiram escolher aquele desconhecido peregrino. A tradição conta que quando Donato entrou na igreja, os sinos tocaram e os círios se acenderam, sem que alguém tivesse contribuído para isso. No início relutou em aceitar, mas depois se dobrou ao desejo de todos. Era o ano 829. Existem muitos registros sobre o seu governo pastoral em Fiesole que durou cerca de quarenta anos.

Combateu com sucesso os usurpadores dos bens da Igreja. Em 866 viajou para se encontrar com o imperador Lotário II, e conseguiu confirmar as doações dos bens concedidos pelo seu predecessor Alexandre, e outros vários direitos. Teve uma boa relação com os soberanos daquela época, os quais acompanhava nas empreitadas e nas viagens. Escritos relatam que: Donato era professor, trabalhou para os reis franceses, participou de expedições com os imperadores italianos e chefiou uma campanha contra os invasores árabes muçulmanos na Itália meridional.

Em 850, o Bispo Donato esteve em Roma participando da coroação do imperado Ludovico, feita pelo Papa Leão IV. Naquela ocasião, foi convidado a participar junto com o pontífice e o imperador, do julgamento de uma velha questão pendente entre os Bispos de Arezzo e de Siena, resolvida a favor deste último.

Era um sacerdote muito instruído, sábio e prudente, por isso se preocupou com a instrução do clero e da juventude. Escreveu diversas obras das quais restou apenas um epitáfio, ditado para o seu jazigo, valoroso pelas informações autobiográficas; um Credo poético, que recitou antes de morrer, e a "Lauda de Santa Brígida", padroeira da Irlanda.

Pensando nos peregrinos, principalmente nos irlandeses, com recursos próprios Donato construiu naquela diocese a igreja de Santa Brígida, o hospital e um albergue, todos ricamente decorados e bem aparelhados. Depois, em 850 doou tudo para a abadia fundada por São Columbano de Bobbio.

Morreu em 877 na cidade de Fiesole, Itália. As suas relíquias foram sepultadas na antiga catedral, dedicada a São Rômulo, onde ficaram até o final de 1017, quando foram transferidas para a nova catedral, em uma capela à ele dedicada . A Igreja o declarou Santo, e o celebra no dia 22 de outubro. A festa de Santo Donato se espalhou por todo o mundo cristão, mas principalmente na Irlanda ele é muito homenageado.
 

São Contardo Ferrini

São Contardo Ferrini nasceu numa epóca de grande crise de fé e oposição à Igreja de Cristo, precisamente no ano de 1859, seus pais eram profundamente cristão. Dotado de memória prodigiosa, era muito estudioso; foi até cognominado " Aristóteles ". Aprendia tudo que lhe ensinavam com a maior facilidade; assim estudou hebraico, siríaco, sânscritos e copta. Iniciou em 1876, com 17 anos, o curso de Direito, em que foi aluno de seu tio, o abade Buccellati, professor de direito penal. A sua piedade, a sua prática da religião provocavam as chacotas, os ditos obscenos, as grosserias dos colegas. Ferini fugia atormentado com isso tudo. Em 1880 em Pavia, defendeu brilhantemente sua tese de doutorado sobre a importância de Homero e Hesíodo para a história do direito penal. Ela lhe valeu uma bolsa de viagem. Foi a Berlim, onde experimentou fortemente o catolicismo sério, corajoso dos militantes provocados pela Kulturkampf de Bismarck.

Tornou-se terciário franciscano em 1886. Foi sábio ao viver como eremita contemplativo. A ciência foi sua dama, o professorado, um sacerdócio, escolheu o direito penal romano, o direito bizantino, em relação ao qual foi quase iniciador na Itália. Em outubro de 1883, com apenas 24 anos, ministrou em Pavia um curso de história do direito penal romano. Em 1887 ensinou em Messina, em 1890 em Módena, em 1894 em Pavia novamente, no Ateneu. Foi sempre mestre compenetrado da seriedade de sua profisssão e de respeito para com seu auditório.

Lutou contra o divórcio e defendeu a causa da infância abandonada. Uma febre tifóide o levou rapidamente, no dia 17 de outubro de 1902, em Suna (Novara).