Capas para Facebook

Adicionar artigo ao twitter

Santo do dia 29 de Novembro




Santo do dia 29/11

São Francisco Antônio Fasani

Nascimento 06 de agosto de 1681

Local nascimento Lucera (Itália)

Ordem Franciscana

Local vida Nápoles

Espiritualidade Ainda jovem entrou para o convento de sua cidade. Em 11 de setembro de 1711, foi ordenado sacerdote, recebeu o título acadêmico de mestre em teologia e foi chamado de "Padre Mestre" durante toda sua vida. Dedicado aos trabalhos apostólicos da pregação, do confessionário e também de escritor, percorria todas as aldeias de sua região, o que o fez merecer o título de "apóstolo de sua terra". Dava assistência aos encarcerados e aos condenados à morte. Os últimos momentos de sua vida passou-os em sua terra natal e sua novena preferida era a da Imaculada Conceição. Chamava-a de "A Grande Novena". A devoção a Nossa Senhora foi uma das fortes características de sua vida. Foi canonizado pelo Papa João Paulo II em 13 de abril de 1986.

Local morte Lucera (Itália)

Morte 29 de Novembro de 1742

Devoção À Nossa Senhora e aos trabalhos apostólicos

Padroeiro Dos encarcerados
 

São Saturnino

São Saturnino era bispo de Toulouse, e é um dos santos mais populares na França e na Espanha, onde é considerado o protetor das corridas. A Paixão de Saturnino é além de tudo documento muito importante para o conhecimento da antiga Igreja da Gália. Conforme o autor da paixão, que escreveu entre 430 e 450, Saturnino fixou sua sede em Toulouse em 250, sob o consulado de Décio e Grato. Naquela época, refere-se o autor, na Gália existiam poucas comunidades cristãs, compostas por um exíguo número de fiéis, enquanto os templos pagãos ferviam de gente que sacrificavam aos deuses. O Santo Bispo, para chegar a um pequeno oratório, passava todas as manhãs diante do Capitólio, isto é, do principal templo pagão, dedicado a Jupiter Capitolino, onde os sacerdotes pagãos ofereciam em sacrifício ao deus pagão um touro para obter as respostas aos pedidos dos fieis. Ao que parece, a presença de São Saturnino emudecia os deuses e os sacerdotes culparam disso o Bispo cristão, cuja irreverência teria irritado a susceptibilidade das divindades pagãs.

Um dia o povo cercou ameaçadoramente Saturnino e lhe impôs sacrificar um touro no altar de Júpiter. O Bispo recusou imolar o animal, que pouco depois seria o instrumento do seu martírio. Por ter afirmado que não tinha medo algum dos raios de Júpiter, impotente porque inexistente. Enfurecidos, pegaram-no e amarraram-no ao pescoço do touro, aguilhoando depois o animal que fugiu enraivecido escada abaixo do Capitólio, arrastando atrás o Bispo. São Saturnino, com os membros despedaçados, morreu pouco depois e seu corpo foi abandonado no meio da estrada, recolhido por duas piedosas mulheres, dando-lhe sepultura em uma fossa muito profunda. Sobre esse túmulo, Santo Hilário, construiu uma capela de madeira um século depois. No século VI o duque Leunebaldo, reencontrando as relíquias do mártir, fez edificar no lugar a Igreja dedicada a São Saturnino (Em francês, Saint-Sernindu-Taur), que em 1300 assumiu o nome atual de Nossa Senhora do Taur.